Estou irritada

Imagem

Perdemos um excelente actor e homem. E porquê? Por causa da sociedade de porcaria que temos!

Posso não saber o que ele sentia, mas sei pelo que ele passou e irrita-me saber que foi devido a comentários vindos de pessoas que um homem com apenas 33 anos se foi. Eu sei o que é estar com uma depressão e as pessoas dizerem “tem calma, as coisas vão melhorar”, “tem paciência, tens de ser forte”, “isso não é nada vais ver que amanhã estás melhor”, “porque não vais sair com os teus amigos, distrair-te divertir-te”, etc. Já pararam para pensar no quanto isso nos deixa piores? Tentar-mos demonstrar que precisamos de ajuda e de apoio, que precisamos de alguém e o que sabem fazer é dar-nos para trás? Demonstrar com todas as letras que não querem saber do assunto ou que estamos a exagerar? Não é por escrever isto que de repente as pessoas vão mudar ou abrir os olhos, mas espero conseguir fazê-lo a algumas, porque se fossem elas não gostariam de ouvir ou não permitiriam sequer que lhes fosse dito aquilo que eles dizem. Podia não o conhecer, mas foi um assunto que me tocou bastante intimamente porque eu já lá estive e ainda não recuperei totalmente, mas felizmente consegui arranjar forças para ir lutando e pedir ajuda, no entanto não se esqueçam que há pessoas que não conseguem e só porque eu consegui não vou passar a ignorar os que não têm tanta força como muitos fazem, cada vez mais me irrita que existam pessoas tão cruéis. 

Descansa em paz Pedro Cunha, que estejas num lugar melhor e feliz. 

Advertisements

Cuidados capilares

Imagem

Hi there! Decidi falar de cuidados capilares hoje por alguns motivos, aviso desde já que não sou nenhuma guru da beleza apenas pretendo ensinar e explicar aquilo que aprendi ou me ensinaram a mim. Eu ultimamente tenho andado com vontade de bater com a palma da mão na testa com as coisas que vejo, leio e oiço por isso decidi fazer este post sobre cuidados básicos, se quiserem mais tarde faço sobre assuntos mais concretos tipo cabelos pintados e etc. Mais uma vez peço desculpa pela minha sinceridade e possível linguagem abusiva, podia dizer as coisas de forma mais suave mas eu sinto necessidade de transmitir a minha frustração. Digo novamente que não sou nenhuma expert nem pretendo em armar-me numa, apenas quero dizer-vos os cuidados correctos porque até eu cometo erros. Vamos começar então, não está a seguir nenhuma ordem específica, vou escrevendo à medida que me vou lembrando. 

1 – Não lavem o cabelo todos os dias. A razão é bastante simples, como devem saber o nosso cabelo produz óleos naturais que são necessários para a sua protecção, ao lavarem o cabelo todos os dias estão a impedir que esse óleo hidrate o cabelo e automaticamente torna-o mais frágil, sem brilho e com grande probabilidade de queda. 

2 – Mas também não fiquem sem o lavar mais de 4 dias, óleo em excesso também não é benéfico e 4 dias é o limite aconselhado. 

3 – Lavem o cabelo com o champô e condicionador indicados para o vosso tipo de cabelo, não que seja obrigatório mas assim escusam os danos. 

4 – Para quem tem cabelo oleoso ou simplesmente não está com tempo para o lavar e não conseguem arranjar forma de lidar com ele, existe o champô seco que aparentemente funciona deixando o cabelo com um aspecto fresco, solto e cheiroso. Há várias marcas que o têm. 

5 – Reduzam ao máximo o uso de secadores, alisadores e tudo o que seja de calor artificial, principalmente na primavera e verão deixem o cabelo secar ao ar livre. Utilizem sempre um protector de cabelo e nunca alisem, encaracolem, o que quer que seja que queiram fazer com objectos que produzam calor artificial enquanto o cabelo estiver molhado ou húmido, apenas quando estiver totalmente seco.

6 – Evitem dormir com o cabelo preso e/ou molhado, o cabelo parte-se com facilidade e enfraquece.

7 – Não penteiem o cabelo várias vezes ao dia, pois corre o risco de partir e ficar oleoso mais depressa.

8 – Bebam bastante água não só faz bem à pele como ao cabelo deixando mais brilhante e hidratado. 

Para mim estes são os principais conselhos, de momento não me consigo recordar de mais mas caso me lembre faço um segundo post ou podem simplesmente perguntar-me através dos comentários ou enviando um email para brunetteinblack@hotmail.com

Espero ter-vos ajudado 

xoxo

O julgamento da beleza

Ontem ao ver o novo vídeo da Beyoncé, Pretty Hurts, lembrei-me de quando eu era criança, todas as memórias assaltaram-me sem dó nem piedade. Não gostava de mim, tinha a auto-estima destruída e sinceramente acho que nunca a recuperei, umas vezes olho-me ao espelho e gosto de mim mas outras vezes não. Achava que era feia, gorda e por vezes os comentários que me dirigiam nunca eram dos melhores. Hoje em dia se me disserem que sou feia, gorda, magra, isto ou aquilo eu ignoro e não me afecta, apenas afecta se me for dito por família, namorados, amigos, colegas, chefes, concluindo em termos mais pessoais e profissionais digamos assim. Há dois anos eu queria a todo o custo ingressar na carreira de modelo, mas adivinhem o que me disseram? “Ah se perdesses assim uns quilinhos, um pouco de barriga, pernas…” enfim as tretas todas do costume e isso desanimou-me. Algum tempo depois eu tinha emagrecido por causa do stress e ainda tiveram o descaramento de me dizer que tinha engordado, por isso decidi desistir e esquecer essa ideia. A ideia de modelo perfeita são raparigas altas, se tiverem 3 metros é excelente e magras, em relação a beleza já não é um factor muito eliminatório porque com 4 kg de maquilhagem em cima o problema está resolvido ou com umas bases de photoshop. Eu se mexer no meu corpo é por mim e não por mais ninguém. Vou dar um exemplo; a Barbara Palvin não é assim muito magra, tem curvas, é bonita e a minha modelo favorita e já vos digo o porquê, uma vez ela apareceu ligeiramente mais cheia e foi logo criticada, começaram logo a dizer que ela já não era propriamente magra e ainda tinha engordado, a minha vontade foi dar um tiro a cada um. 
A razão pela qual eu adoro a Barbara é porque o meu corpo não é muito diferente do dela, as diferenças é que tenho os ombros e costas mais largos, tenho mais barriga e as coxas também são um pouco mais cheias do que as dela, e ela é só 1 cm mais alta que eu e como óbvio pesa menos do que eu e mesmo assim temos quase a mesma estrutura corporal. É graças a ela que aprendi a gostar de mim e estou disposta a um dia voltar a tentar, caso não consiga também não fico ralada. Imagem

50 Sombras de Grey

ImagemAcabei finalmente de ler o primeiro livro da tão falada trilogia. Já tinha ouvido falar anteriormente por várias pessoas, tinha colegas minhas a ler e tinha uma certa curiosidade mas nada de mais e acabei então por esquecer. Nunca tive paciência para ler livros e nunca li nada mais do que fan-fiction’s em blogs, uma vez que também as escrevia. Sim é verdade este foi o meu primeiro livro e para primeiro foi uma óptima escolha na minha opinião, mas admito que não percebo porquê tanto murmúrio, pedi então o livro emprestado a uma colega da minha mãe para matar o mistério. Eu sinceramente não me submeteria a nada do que a Anastasia se submeteu, por mais que gostasse dele tinha-o mandado dar uma volta e não percebo como há mulheres que ficam excitadas com aquilo e fazem comentários do género (atenção maiores de 18 anos): “tu mal acabares de ler um capítulo vais estar tão excitada que vais ter vontade de te tocar” e sim eu ouvi isto e fiquei com uma ideia de que seria erótico ao ponto de uma mulher se sentir assim mas depois de ler percebi que aquilo só me dava era vontade de bofetear o Christian e peço desculpa pelos meus comentários serem tão directos. No entanto tirando essas partes a história em si deu-me vontade de também escrever um livro, não erótico, talvez com uma cena ou outra de sexo mas deu-me vontade, no entanto duvido que o faça até ganhar a minha total independência, preciso de aprender mais coisas e passar por mais experiências para construir algo mais sólido, ter uma vida mais “pacífica” para me dar mais inspiração e não ser interrompida, enfim passando novamente ao livro. Foi uma óptima leitura e acho que já deu para reparar que gosto bastante de coisas luxuosas e o livro trouxe-me algumas partes desse mundo o que me deixou fascinada, não que esteja a pedir para conhecer um milionário e que ele me dê um Audi, um Macbook e um BlackBerry mas deu-me um pequeno gosto, o final sinceramente não estava à espera, foi bastante surpreendente e gostei porque dá aquela vontade de saber o resto da história, mas se acabasse mesmo assim também não me ralava, mas isso sou eu porque acho a atitude dela compreensível apesar de dar pena. Em princípio começo a ler As 50 Sombras Mais Negras ainda hoje e mal posso esperar para saber o resto.

Friendship

Imagem

Amizade é um assunto que me custa falar. Ainda não descobri o que me falta, o que tenho a mais ou a menos para conseguir ter um grupo de amigos. Não sei o que é ter um grupo de amigos, não sei o que são noites ou dias passados entre amigas, não sei o que são convites de grupo para festas, jantares, aniversários. Quando comento que me sinto solitária a primeira coisa que me dizem é “porque não vais sair com os teus amigos e espairecer um pouco?” a minha resposta imediata é “não tenho amigos”… às vezes pergunto-me o que é isso, sempre fui posta de parte, sempre fui gozada e quando tento perceber o porquê não consigo, nem as pessoas percebem simplesmente ficam com caras pasmadas a olhar para mim e isso faz-me sentir anormal. Custa-me estar nas redes sociais e ver fotos de pessoas que estão sempre rodeadas de gente, a maior parte amigos já de longa data e vão aqui e vão ali, enquanto eu nunca consegui construir algo assim. Uma coisa é certa e vos garanto, o facto de não ter dinheiro é uma grande desvantagem, essa é uma das razões pela qual ou não sou convidada, ou me meteram de parte ou eu mesma tinha de negar os poucos convites que me eram feitos, eram, sim, porque hoje então parece que sou invisível aos olhos do mundo. O mais engraçado é que quando consigo começar a fazer amizades há sempre alguma coisa que corta e acabam por me ir deixando aos poucos e vejo-me sempre a ser trocada ou deixada para trás… e é horrível quando a única pessoa que tenho é a minha melhor amiga que mora a quilómetros de mim em Luxemburgo e mesmo assim é complicado falarmos-nos. Será que sou eu que tenho algo errado? Cada vez piora mais e já estive mais longe de ficar completamente sozinha.

Fiction and me

Imagem

Estreei-me no mundo da escrita por volta de 2008/2009. Escrevi várias fan-fiction’s mas nunca consegui levar as minhas ideias muito a fundo de modo a conseguir escrever histórias com vários capítulos, o máximo que consegui até hoje foi 25. Para conseguir escrever seja o que for primeiro preciso de criar o início da história na minha cabeça e depois o resto vai-se desenvolvendo mas acabo por me perder e chegar a uma altura que escrevo forçadamente. Há bastante tempo que não consigo escrever, chegou a uma altura da minha vida que a minha imaginação e inspiração decidiram isolar-se nas suas caixas e abandonar-me, sinto necessidade de uma vida pacífica e tranquila, que é coisa que não tenho, sinto saudades de conseguir criar mil e uma histórias na minha cabeça e escolher uma para trabalhar e as palavras simplesmente escorrerem-me pelas veias até à ponta dos dedos e eles naturalmente começarem a carregar nas teclas do computador deixando as palavras fluir que nem um rio. No entanto tenho o sonho de um dia conseguir escrever um livro e sinto que esse sonho pode estar próximo nem que próximo seja daqui a mais alguns anos, passado tanto tempo estou a conseguir desapegar-me de algumas coisas e sair um pouco do meu mundo de fantasia para encarar as coisas de modo diferente e melhor para mim. Estou disposta a tentar e a ir à luta, no entanto ainda posso desfrutar de mais uma semana de deprimência envolta em gelados, chocolates, filmes deprimentes, noites sem dormir, cabeça sem parar, birras, choros e confusões. Agora vou tomar banho e tentar relaxar. 

Franjas, franjas, franjas…

Imagem

Eu e as franjas temos uma grande empatia… mas ao mesmo tempo não. A minha testa não é propriamente pequena e isso sobressai nas fotografias o que me faz não gostar delas, solução: ou franja ou volume na raiz. Eu como não tenho muito volume na raiz do cabelo opto pela franja e adoro ver-me de franja! Não o nego nem as pessoas, mas dá-me demasiadas dores de cabeça, nunca fica como quero, basta uma rajada de vento para desmanchar todo o trabalho que tive e depois para a voltar a pôr no lugar? Pois é, e tenho a certeza que não sou a única com este problema, a franja dá-nos um ar mais fofo mas ao mesmo tempo é um pesadelo, daí arrepender-me sempre que faço franja, já sei que vou e mesmo assim faço e sei que nunca vou aprender. Ter o cabelo sem franja trás algumas vantagens mesmo em penteados mas para quem tem a testa grande a falta de volume na raiz não é uma grande ajuda, andei num dilema entre cortar ou não a franja mas decidi por não cortar, agora vem o verão, dias de calor intenso e o meu pior inimigo vai ser a franja por isso vou deixá-la crescer e quanto mais rápido melhor. Depois do meu cabelo estar maior, se tiver dinheiro irei passar por um cabeleireiro e pintá-lo de castanho chocolate, já tive uma vez e gosto bastante do tom.